Um segundo tempo do esporte em Salvador

Por Coriolano P. da Rocha Junior

Como dito no post do dia 22/06/09, entre fins do séc. XIX e início do séc. XX o esporte ainda se mostrava timidamente em Salvador, sendo até então uma prática social limitada e restrita a parte da população. O esporte era visto com ares de diversão, uma diversão ainda estranha a maior parte dos soteropolitanos que por vezes provocava estranhamentos e mesmo rejeição. Se neste mesmo post comentamos que este foi o primeiro tempo deste jogo, o do esporte em Salvador, é a partir daqui que começamos o segundo tempo, o tempo da efetivação desta prática nesta mesma cidade.

A partir da década de dez do século XX a cidade de Salvador começa a experimentar um conjunto maior de mudanças e isto não por acaso, pois estas mudanças coincidem com a implantação na cidade de um projeto de modernidade. Nesta época e sob influência direta do que se deu no Rio de Janeiro, em Salvador durante o governo estadual de J.J. Seabra (José Joaquim SEABRA, governou a Bahia entre 1912-1916 e também entre 1920-1924) se empreendeu um conjunto de ações que visaram remodelar seu espaço urbano e ainda adequar seus habitantes as novas exigências de comportamentos e posturas da modernidade, tentando levar para Salvador todo um propósito de instalar o novo e assim superar o declínio que era experimentado pela cidade.

Como uma forma de executar este projeto de “modernização” se viu a abertura e o alargamento de novas avenidas e a construção de novos edifícios, mas também a derrubada das chamadas “velhas” construções, algumas de grande valor. Mas modernizar uma cidade não se prendia apenas a questão da estrutura urbana, também hábitos e comportamentos deveriam ser mudados e modernizados, ajustando-se as novas “exigências” desta que se pretendia uma nova cidade e aí, o esporte ganha força. É a partir desta fase e acompanhando as propostas de “reformas” que se vê iniciar em Salvador aquilo que chamamos de campo esportivo.

Nos esportes se observa que a partir desta época começa a existir uma cobertura mais intensa dos jornais e revistas que já não se limitavam a dar notas soltas e sim tentavam descrever e caracterizar os esportes e seus praticantes, reconhecendo pessoas que a ele se dedicavam mesmo que sob a denominação de amadores. Nos jornais os jogos passam a ser noticiados com seus resultados e com comentários, contando a cidade com “jornalistas especializados” que inclusive fundaram uma associação de cronistas esportivos. Também se percebe a preocupação com a construção de espaços específicos para os esportes, espaços que permitissem uma maior qualidade na prática pensando não apenas naqueles que eram os seus praticantes, mas também na plateia

Um fator representativo da importância que o esporte começa a ter, é que um outro marco da instalação da modernidade em Salvador, o cinema, passa a exibir produções que envolviam esportes, entre eles o boxe e o futebol. Chama atenção esta chamada para uma exibição cinematográfica de futebol que aparece na revista Artes e Artistas[1] (Ano II, N. 51, 1921):

Cariocas versus Bahianos. Nestes dias continuação e final do Grande Film, único documento animado dos grandes Matchs disputados entre “America Foot-Ball Club” e os Clubs patrícios: Botafogo, Bahiano de Tênnis, Athletico, Ypiranga, Victoria e Combinado Bahiano. Desde a chegada da valorosa Embaixada Carioca, ás manifestações e o embarque. Os sensacionaes encontros com os Clubs “Botafogo-Bahiano de Tennis”, dia 22 e as valorosas pugnas de 25, 27, 29 e 02 de outubro. Aspectos dos assistentes. Os minuciosos particulares do jogo. Interessantíssimos momentos de peleja. Palpitantes scenas. As magistraes defezas dos Keepers Bahianos e Cariocas. A Empresa Cinematographica Neila Film sente-se orgulhosa em poder apresentar quasi que imediatamente a reproducção fiel deste sensacionaes acontecimentos.

Neste período começamos a ver os jornais noticiando esportes que não apenas o futebol. Por esta época já se falava de boxe, remo, turfe, automobilismo, ciclismo, atletismo, tênis e mais, já se discutia o esporte para mulheres e as matérias procuravam tratar do esporte fora de Salvador e mesmo fora do país.

Outro fato característico da afirmação do campo esportivo e do envolvimento dos esportes com a cidade é a possibilidade de já se perceber a existência de ídolos esportivos, fato visto através de notícias que exaltavam suas capacidades e habilidades e a forma como eram queridos pelos envolvidos com o esporte. Também já eram feitas associações da imagem destes aos mais diferentes produtos na forma de propagandas e mais, destaca-se também a presença cada vez maior das pessoas nos espetáculos esportivos, como visto na mesma Revista Artes e Artistas (ano II, n. 45, 1923)

Como era esperado, realizou-se no dia 29 p.p. no campo da Graça o sensacional encontro entre os fortes conjunctos do Ypiranga e Bahiano de Tênnis. Ás 13horas já as archibancadas e toda a volta do campo estavam repletos; tal era a anciedade, com que o povo esperava este valioso embate.

Conjuntamente a isto há uma crescente necessidade de regulação dos esportes, fato que leva a criação de entidades. Sobre isto, Geraldo da C. Leal comenta que “No dia 14 de setembro de 1913, foi fundada a Liga Baiana de Desportos Terrestres, e o campeonato prosseguiu com a presença de novos teams…” (2002, p.184).

Outros fatores são importantes para a afirmação do esporte em Salvador. Dentre eles vemos: a preocupação com a performance a partir da exigência de treinamentos e competições regulares; a construção de espaços próprios para cada prática e o envolvimento da população como um todo e não apenas da elite político-econômica nas práticas esportivas.

Desta forma, podemos perceber que em Salvador os esportes vão de uma prática corporal associada ao divertimento, ocupação do ócio da elite local a uma prática que se sistematiza e ganha repercussão. Neste mesmo sentido Salvador caminha de uma cidade “pequena”, cheia de problemas para uma cidade que quer modernizar-se, civilizar-se e para isto busca se modificar e incorporar em seu cotidiano as práticas modernas, dentre elas as corporais e especificamente os esportes. Enfim, foram estes os tempos iniciais do esporte em Salvador e daí por diante é outra história a ser narrada.

 


[1] Primeiro chamava-se: Artes e Artistas: theatro, humorismo e cinematographo (1920-1922). Depois em 1923 vai se chamar: Artes e Artistas: sports, theatro, humorismo e cinema.

Anúncios

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: