Jorge Ben e o surfe

Por Rafael Fortes

Jorge Ben sem óculos escuros, de short, na praia, cantando “a onda do momento, o surfe”? Pois, é.

Conhecido por numerosas composições sobre o futebol e o Flamengo, no fim dos anos 1970 o papa do que hoje se chama samba-rock rendeu-se ao surfe. Naquele momento, a modalidade vivia seu primeiro boom no Brasil. O título, “Waimea 55.000”, é uma referência ao campeonato Waimea 5.000, etapa do Circuito Mundial de surfe então realizada no Rio de Janeiro e patrocinada pela loja carioca Waimea Surf Shop. “Eu vou surfando e cantando / eu vou”, versava meu cantor favorito na faixa, divulgada no programa Fantástico, da TV Globo, em 1979, e disponibilizado no Youtube:

O clipe é uma pérola. Para não me estender muito, fico com três observações. Primeiro, o vídeo conta com algumas características típicas de boa parte dos filmes de surfe, como a exibição de mulheres de biquíni e os enquadramentos de câmera em close-up nas bundas femininas.

Segundo, contém uma imagem do frescobol – aquele que, há quem alegue, é o único esporte inventado no Rio de Janeiro. E uma sequência de surfe de joelho (kneeboard), uma das diversas modalidades esportivas que aproveitam as ondas.

Terceiro, mostra o processo artesanal de fabricação de pranchas, mencionado ironicamente na letra: “essa prancha parece até um submarino, aí / isso é que dá fazer prancha no fundo do quintal, Paulinho”.

Comprovando a força da febre do surfe no Rio de Janeiro e em outras cidades do litoral brasileiro, no ano seguinte, no LP “Alô Alô, Como Vai”, o atual Benjor gravava “Solitário Surfista“:

A letra, igualmente simpática à modalidade, convida o “solitário surfista” a exibir seu repertório: “e mostre um front side, um cut back / Um back side, um loop”

*  *  *

A ideia de fazer este texto surgiu meses atrás, quando vi o vídeo de Waimea 55.000″ (que eu desconhecia) no excepcional blogue Goiabada, do surfista e jornalista Julio Adler. Embora fã de Ben, eu tampouco conhecia “Solitário Surfista”, do disco “Alô Alô, Como Vai” (1980). Passei a conhecer nos comentários do mesmo post do Goiabada, graças à contribuição do leitor Gabiru. Bênção ao potencial e à prática colaborativa da internet!

Nota: de acordo com texto de divulgação disponível no sítio do cantor, “Waimea 55.000” foi incluída como faixa-bônus no relançamento em CD de “Dádiva”, de 1984. Na discografia oficial, que se atém aos lançamentos originais, a canção não consta no LP.

Anúncios

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: