Surfe em lugares inusitados (2)

Depois do surfe no Arroio Dilúvio (Porto Alegre/RS) e de uma remada na alagada Gávea (Rio de Janeiro/RJ), temas de meu último texto, vamos explorar outras experiências.

Um inventário bacana está no documentário Step into Liquid (dir. Dana Brown, EUA, 2003). O trailer, bem mais ou menos, não faz jus ao ótimo filme:

Relembrando de memória (faz dois ou três anos que vi o filme), temos:

a) Surfe em ondas formadas por navios petroleiros gigantes.

No litoral do estado estadunidense do Texas. Onde mais, né?

b) Surfe em lagos.

Isso mesmo: lagos. De água doce! A ventania que bate nos grandes lagos da fronteira entre o norte dos EUA e o sul do Canadá provoca ondas surfadas por adeptos que moram a milhares de quilômetros do oceano mais próximo.

c) O caso emocionante de um surfista que perdeu o movimento das pernas após a queda em uma onda e cuja maior vontade é… voltar a surfar. E o faz, na companhia de amigos que o colocam sobre a prancha e o ajudam a entrar na onda.

d) Surfe em praias de águas geladas.

Assim como a fabricação de pranchas usando materiais leves facilitou a prática do esporte por crianças e mulheres (de forma semelhante à ocorrida com outras modalidades, como informam em seus estudos os camaradas André Schetino e Cleber Dias), o aprimoramento do material e da fabricação das roupas que funcionam como isolantes térmicos permitiu a extensão da prática a locais com temperatura baixíssima. Isto permite descer ondas durante o inverno em lugares como a costa da Irlanda e o nordeste dos EUA (neste caso, em praias cobertas de neve!).

Para os que não conhecem a modalidade, vale lembra que, seja no hemisfério norte ou sul, o inverno é a época de melhores ondas. Então, que tal surfar as ondas produzidas pelas avalanches das geleiras no Alasca? Calcule a temperatura da água!

Para finalizar, algumas imagens impressionantes de surfe em rios da Região Norte do Brasil. Primeiro, o hoje famoso surfe na pororoca. No Pará:

Confira também este vídeo institucional da Associação Brasileira de Surf na Pororoca (Abraspo), que abrange três estados: Maranhão, Pará e Amapá:

Qual a próxima fronteira, invenção ou novidade? Difícil saber!

Anúncios

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: