Era Besouro, era Besouro

Por Vivian Fonseca

Quem nunca ouviu falar em Besouro Cordão de Ouro, Besouro Mangangá ou Besouro Preto? Essas são algumas das alcunhas de Manoel Henrique Pereira, um dos capoeiras mais famosos em todo o mundo. Símbolo de mandinga, seu nome se tornou o maior mito da capoeiragem e marca de uma arte alegre, malandreada e “cheia de feitiço”. Ou, por que não, com muito axé!

Nascido em Santo Amaro da Purificação, na Bahia, Besouro viveu entre o final do século XIX e início do XX. As histórias que envolvem seu nome estão marcadas de mistério e encantam capoeiristas e leigos até os dias de hoje. Capoeiristas narram as peripécias desse baiano que, encurralado por vários policiais, conseguia “avoar” por cima deles e desaparecer – daí sua alcunha. Além disso, reza a lenda, Besouro, tinha o corpo fechado por vários babalaôs, fazendo com que nenhuma faca ou bala pudesse atingi-lo.

Personagem do Recôncavo Baiano, sua expressividade é tão forte que foi inspiração de inúmeras obras artísticas, literárias e acadêmicas. Todos curiosos acerca de quem foi Besouro. Feijoada no Paraíso – a saga de Besouro, o capoeira, livro ficcional que pretende contar de maneira livre a trajetória de nosso nobre capoeira é um dos exemplos. Em 2009 a obra deu origem ao filme Besouro – da capoeira, nasce um herói, com direção de João Daniel Tikhomiroff, com produção da Globo Filmes e da Miravista . A produção milionária conta com Huen Chiu Ku, coreógrafo de Kill Bill e O Tigre e o Dragão e responsável pelas cenas de lutas do filme. Indicado a alguns prêmios, o filme ajudou a divulgar a fama de valentão e de mistérios que ronda a lenda Mangangá.

Além desses empreendimentos, vale citar e a dica do musical Besouro Cordão de Ouro. Sucesso de público por todo o Brasil, o espetáculo está em cartaz desde 2006 e continua encantando capoeiristas e leigos por onde passa. O diretor, João das Neves, é ex-Grupo Opinião e um dos símbolos do teatro de resistência ao regime militar nos anos 1960. Com texto de Paulo César Pinheiro, a peça busca lançar luz à cultura brasileira de origem africana a partir da trajetória de nosso líder negro. A coordenação de capoeira conta com famosos do mundo da capoeira, como Mestre Camisa. Besouro conta ainda com capoeiristas no seu elenco e músicos de destaque que conferem um charme especial à produção, ela mesma com um clima cheio de mistério, como sugere seu protagonista. A iniciativa fez tanto sucesso que em 2010 foi lançado por Pinheiro o cd Capoeira de Besouro, com as canções do espetáculo e com o selo da gravadora Biscoito Fino.

Mesmo depois de quase um século de sua morte, Besouro continua sendo uma forte marca na capoeira e produto com apelo fora do mundo da capoeiragem.

“Quem nunca viu, venha ver. Venha ver para aprender”. Com certeza será uma grata experiência. Abaixo partes do musical Besouro Cordão de Ouro que conta ainda com a música Lapinha de Baden Powell e Pinheiro – mais uma aparição de Besouro pelo cenário cultural brasileiro.

 

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: