M.S.E. – Movimento dos sem estádio

por André Schetino

No último dia 29 iniciou-se o campeonato Mineiro de Futebol. A imprensa exalta o bom momento do futebol mineiro, com a presença dos três clubes de Belo Horizonte na primeira divisão do futebol brasileiro, o que não ocorria desde 2001. No entanto, destaca também um aspecto inusitado: a cidade de Belo Horizonte inicia o ano sem um estádio de futebol, fazendo com que Atlético, América e Cruzeiro mandem seus jogos em cidades do interior ou da região metropolitana da cidade.

A intempérie começou com Belo Horizonte largando na frente na corrida pela Copa do Mundo de 2014. Com interesses claros em colocar a cidade na disputa pelo jogo de abertura da Copa, o então gorvenador Aécio Neves mostrou seu pioneirismo, sendo o estádio do Mineirão o primeiro a ser fechado para início das obras, em julho de 2010.

A medida que agradara a comissão organizadora dos jogos deixou Atlético e Cruzeiro sem estádio para o Campeonato Brasileiro de 2010. A idéia inicial era que o transtorno durasse pouco, pois o estádio do Independência – pertencente ao América Mineiro e construído para a copa de 1950 – seria também reformado, e entregue à cidade em novembro de 2010, permitindo  aos clubes de Minas a sua utilização nos jogos finais do campeonato.

Porém, como infelizmente é comum e se obseravar Brasil afora com a questão dos estádios, as obras não só atrasaram como ultrapassaram o valor orçado para o projeto inicial. Moro próximo a região do estádio e tive a oportunidade de acompanhar o estágio inicial de das obras, que consistiu na demolição e limpeza do terreno, deixando-o com a “assustadora” aparência da foto abaixo.

O processo foi rápido, iniciou-se em 22 de janeiro de 2010, o que deu a impressão de que o cronogarama de obras seria cumprido. Mas a entrega do estádio já teve sua data alterada algumas vezes. A última divulgação estipula o mês de junho deste ano. Os responsáveis pela obra alegam que as chuvas do início do ano de 2010 e mudanças no projeto inicial feitas pelo América atrasaram o cronograma de obras. Além disso, o projeto que estava orçado em R$ 54 milhões tem agora seu custo recalculad o para R$ 70  milhões, até o momento.

A falta de um estádio em Belo Horizonte foi a principal reclamação dos clubes no ano passado. E persistirá esse ano, com o início do Campeonato Brasileiro sem um estádio para mandarem seus jogos. Apesar das obras estarem em andamento, o medo maior é de que o probelema perdure por todo o ano.

Abaixo, um link para a reportagem que mostra o atual momento das reformas no estádio do Independência.

http://globoesporte.globo.com/minas-gerais/noticia/2010/11/novo-estadio-independencia-ficara-pronto-ate-o-mes-de-junho-de-2011.html

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: