“O primeiro a gente nunca esquece” – Primeiro dérbi de futebol feminino em Lisboa

O Sport Lisboa e Benfica e o Sporting Clube de Portugal são dois dos mais tradicionais clubes de Portugal, e os maiores rivais de Lisboa. Uma vez que os clubes são multidesportivos, a rivalidade não se limita ao futebol masculino, estando presente em outras modalidades onde os clubes são fortes e se enfrentam, como por exemplo, o futsal, o hóquei patins, o handebol e, mais recentemente, o futebol feminino. Contudo, essa rivalidade e a visibilidade de outros encontros e modalidades não se reflete da mesma forma no futebol feminino.

A rivalidade surge nos anos 30. Grande parte do motivo é fruto das disputas entre Benfica e Sporting na Volta a Portugal, de ciclismo, onde os jornais alimentavam a narrativa da disputa clubística representada por dois dos maiores ciclistas portugueses, José Maria Nicolau, que ganhou a Volta a Portugal em 1931 e 1934 pelo Benfica e Alfredo Trindade, que ganhou a Volta a Portugal em 1933 pelo Sporting.

Associado ao fato de que o futebol masculino tem um papel de completo domínio da agenda midiática desportiva, em Portugal, hoje em dia, um jogo entre Benfica e Sporting recebe uma cobertura massiva em todos os veículos e suportes de comunicação. Nos dias que antecedem os jogos, os mínimos detalhes são analisados e noticiados, assim como depois dos jogos há uma exaustiva análise da repercussão dos resultados. Reconhecendo que a rivalidade é um elemento basilar do desporto, a disputa entre Sporting e Benfica – também conhecido como dérbi éterno – recebe atenção internacional, com uma abordagem que pode transcender as rotinas imediatas dos resultados.

O mesmo não ocorre com o futebol feminino. Primeiramente, porque a rivalidade entre Sporting e Benfica ainda é muito recente. Formada em dezembro de 2017, o Benfica começou a sua trajetória no futebol feminino na temporada 2018/19, na 2ª divisão (Campeonato Nacional de Promoção), conseguindo a subida no primeiro ano e sendo campeãs da Taça de Portugal da mesma temporada. A equipe feminina do Sporting conta com um pouco mais de tradição: fundada em 1991, o clube foi pioneiro ao colocar em funcionamento as primeiras escolas de formação de futebol feminino, mas interrompeu as suas atividades após 4 temporadas, em 1995, voltando ao funcionamento em 2016, e a partir daí foi campeão de todos os torneios nacionais. Assim, o primeiro jogo oficial entre ambas as equipes só aconteceu a 19 de outubro de 2019, no Estádio da Luz, pelo campeonato de 2019/20.

Contudo, antes disso, na temporada anterior, as duas equipes se enfrentaram num jogo amistoso, a 30 de março de 2019. A partida realizada no Estádio do Restelo e denominada Troféu Vicente Lucas, jogador moçambicano do Belenenses e um dos ‘magriços’ da seleção portuguesa de 1966, tinha como objetivo angariar fundos para Moçambique, após a tragédia causada pela passagem do Ciclone Idai, no início do ano.

A realização da partida contou com a colaboração de ambos os clubes, do Belenenses, que cedeu o estádio e o nome do troféu, a Federação de Futebol Portuguesa (FPF), o canal de televisão TVI, que transmitiu a partida, o sindicado de jogadores e a Associação de Futebol de Lisboa. O primeiro dérbi lisboeta da história do futebol feminino era a principal forma de atrair o mundo do futebol, dentro de um universo onde as agendas dos clubes profissionais masculinos já se encontram sobrecarregadas.

O jogo foi um sucesso, tendo batido o recorde de público, em Portugal, para um jogo de futebol feminino, com 15 204 pessoas, no estádio do Restelo. O jornal A Bola deu algum destaque ao jogo em sua capa (no dia do jogo e no dia seguinte), mais do que o dado ao primeiro jogo oficial, em outubro, quando apenas deu destaque no dia seguinte, mais do que o seu concorrente de Lisboa, o jornal Record que não mencionou em sua capa o 1º jogo oficial.

Jogos com mais público:

12.812 espectadores, no Estádio da Luz | Benfica x Sporting (4.ª rodada da Liga BPI)

12.632 espectadores, no Estádio do Jamor | Benfica x Valadares Gaia (final da Taça de Portugal de futebol feminino 2019)

12.213 espectadores, no Estádio do Jamor | Sporting x Sp. Braga (final da Taça de Portugal de futebol feminino 2017)

Embora a rivalidade seja um pilar do esporte e uma importante ferramenta de promoção da mídia desportiva, o dérbi de outubro de 2019, mesmo sendo o primeiro jogo oficial, valendo 3 pontos, foi promovido com ênfase no entendimento entre as partes. A FPF, organizadora do campeonato, através de seu canal de televisão, reuniu as capitães para promover o jogo, com base naquilo que une ambas, mais do que o que as separa.

Entre holofotes e sombra, o futebol feminino vai construindo a sua história. A narrativa em torno do futebol feminino apresenta um discurso alternativo, embora recheado de elementos comerciais. Por um lado, há a tentativa de promover um discurso de igualdade de oportunidades para homens e mulheres na modalidade, junto com um apelo à união e paz nos estádios. Por outro, há o objetivo de fazer crescer a modalidade, profissionalizar as suas estruturas, atrair público e patrocinadores para o espetáculo.

 

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: