ELEVAR O SPORT SUBURBANO: O FUTEBOL NOS ARRABALDES DE CAMPO GRANDE – RIO DE JANEIRO

Por Nei Santos Junior

As experiências com o futebol nos vários cantos arrabaldinos não foram poucas. Nos primeiros anos do século XX, os bairros de Bangu, Santa Cruz, Campo Grande e Realengo já contavam com um número expressivo de associações esportivas ligadas ao futebol, ciclismo, boxe, cricket entre outras.

No caso de Campo Grande, a fundação do Campo Grande Athletic Club nos chama atenção. Inicialmente, por ser uma região que transitava entre ações tipicamente rurais e outras de caráter urbano. Num segundo momento, porque, talvez, a própria criação de um clube de futebol permita elucidar essa inter-relação complexa, que há algum tempo emerge em nossas reflexões e que muito nos inquieta, mas que em nenhum momento possa ser compreendida como dicotômica.

Fundado em 16 de maio de 1908, com sede na rua Augusto Vasconcellos, n.62, o então Campo Grande Football Club foi um dos principais clubes da zona suburbana. No bairro, não era o único dedicado ao futebol. Entre outros, havia o Sportivo Campo Grande, Monteiro Football Club, Sport Club Juary e, posteriormente, o Clube dos Alliados. Todavia, acreditamos que nenhuma outra agremiação local tenha alcançado o mesmo destaque, já que o clube esteve nos grounds das ligas mais importantes da cidade.

Na década de 1910, o Campo Grande filiou-se à Liga Suburbana de Football (LIGA, p.7, 1917; UM GRANDE, p.4, 1917). No tempo em que esteve associado, fez-se presente entre os principais clubes da 1° divisão, juntamente com Royal Football Club, Modesto F. Club, Cascadura e o Engenho de Dentro A. Club.

No mesmo período, o clube também participou de vários festivais esportivos, alguns em homenagem aos jornais dedicados à cobertura do futebol e, em outros momentos, festejos que mobilizavam um enfrentamento local. Um exemplo que congrega esses dois pontos, foi o torneio Interclubes Suburbano, dedicado ao jornal A Epoca, que reuniu clubes da Liga Suburbana e Liga Metropolitana, sendo disputado no campo do Cascadura Football Club (UM GRANDE, p.4, 1917).

Em 1920, o Campo Grande passou por uma reconfiguração.  Influenciado por uma maior valorização dos resultados, a agremiação uniu suas forças ao Paladino Football Club, que antes jogava em Piedade. Com a fusão, além da mudança de nome, sendo agora chamado de Campo Grande Athletic Club, ele também migraria para a Liga Metropolitana de Desportos. Ainda que disputasse, inicialmente, a 3°divisão, pode-se supor que tal filiação seja reflexo de um conjunto de interesses, desejos e aspirações da agremiação nos meios futebolísticos cariocas.

Ainda em 1920, a equipe, agora composta por nomes que faziam parte do Paladino, entrou forte para a disputa da 3° divisão. Com ótimos resultados, fez a final com o Bonsucesso Football Club, alcançando, em seu primeiro ano na Liga Metropolitana, o acesso a 2° divisão. No entanto, dias depois da conquista, a morte do então presidente Firmino Gameleira causou certa instabilidade política no clube (FALLECEU, p.8, 1920). Os jornais lamentaram o falecimento do “conhecido e antigo sportman”, considerado uma figura importante do esporte local. Funcionário da prefeitura, o Sr. Firmino também foi um dos fundadores do clube, sendo, aliás, importantíssimo para a aquisição da sede em Campo Grande.

Com essa nova fase, o Campo Grande Athletic Club passou por algumas instabilidades internas. Curiosamente, no primeiro dia do ano de 1921, após a posse da nova diretoria, outra agremiação fora fundada: o Sportivo Campo Grande, com muitos integrantes que figuravam entre os associados do clube atlético. Segundo o Jornal do Brasil:

a novel sociedade recentemente fundada em Campo Grande por um grupo de abnegados e fervorosos admiradores do football, conta já com grande número de adeptos e dispões de todos os elementos necessários a um rápido progresso (SPORTIVO, p.10, 1921).

Mesmo com a presença do Sportivo Campo Grande, o protagonismo local continuou sob as ordens do Campo Grande Athletic Club. Isso porque, a nova agremiação focou, inicialmente, em ações intermediárias, optando por não disputar as competições promovidas pelas principais Ligas da época.  Até meados da década de 1930, é possível identificar ações isoladas, entre amistosos e festivais suburbanos. Tal prática, fora até mesmo cobrado por alguns jornais esportivos da época, sob a justificativa que o Sportivo de Campo Grande teria, “com esforço e boa vontade”, condições de “ser um sério rival do Bangu” (O CAMPO GRANDE, p.4, 1935).

De toda forma, as atividades esportivas seguiam em ritmo acelerado no bairro. Em 1926, o Campo Grande Athletic Club realizou um grande festival esportivo em comemoração ao seu 18° aniversário. Alguns clubes da região foram convidados, entre eles, o Modesto, Fidalgo, Engenho de Dentro, Vasco da Gama e Bangu. A festa, sem a presença do coirmão Sportivo, também seria para inaugurar a sua nova e elogiada arquibancada, considerada um símbolo do progresso da população campograndense (O PRÓXIMO, p.11, 1926).  

Contudo, os anos seguintes foram marcados por uma intensa movimentação política. Em 1927, novas eleições foram convocadas, mas o quadro de diretores permaneceu praticamente o mesmo. Na tentativa de atrair um maior número de sócio, o clube resolveu suspender a joia de admissão, além de facilidades no acesso aos jogos de futebol (CAMPO GRANDE, p.10, 1927).

Ainda assim, o clube permanecia distante da trajetória de bons resultados – na disputa da 2° divisão e no péssimo desempenho na excursão por São Paulo. Curiosamente, nesse período, o clube entra numa espécie de declínio. Um ofício enviado a Liga Metropolitana, publicado pelo Jornal do Brasil, no final de 1929, mostra alguns itens interessantes. No texto, o presidente convoca uma assembleia geral extraordinária, pedindo o comparecimento dos associados, pois nela será tratada a “reorganização do club, o qual acha-se em condições esportivas, administrativas e sociais bastante melindrosas, reportando-se a assembleia em sua organização ou dissolução” (LIGA, p.15, 1929).

Campo Grande Atlético Clube – fundado em 1940

Não sabemos ao certo os desdobramentos da reunião, mas fica claro que após a sua realização as notícias sobre a agremiação tornaram-se escassas. O fato é que, depois de 1930, não encontramos nos jornais mais notícias sobre o Campo Grande Athletic Club. Acreditamos que ainda tenha ficado algum tempo realizando atividades locais, até encerrarem de vez suas ações. Sabe-se, no então, que alguns dos seus principais sócios migraram para outras sociedades esportivas. Alguns ajudaram a desenvolver o Alliados de Campo Grande, outros, juntamente com sócios remanescentes do Sportivo Campo Grande, fundaram, em junho de 1940, o Campo Grande Atlético Clube. Agremiação na qual encontra-se em funcionamento até os dias de hoje.  

One Response to ELEVAR O SPORT SUBURBANO: O FUTEBOL NOS ARRABALDES DE CAMPO GRANDE – RIO DE JANEIRO

  1. […] ELEVAR O SPORT SUBURBANO: O FUTEBOL NOS ARRABALDES DE CAMPO GRANDE – RIO DE JANEIRO […]

%d blogueiros gostam disto: