PAPO FINAL: FUTEBOL E LITERATURA NA ABI

Texto e fotos por: Edônio Alves

A relação entre o futebol e a literatura foi o tema que encerrou, ontem (15/12), os debates da edição deste ano do projeto “Futebol-arte: a arte do futebol”, que acontece toda primeira terça-feira de cada mês na Associação Brasileira de Imprensa-ABI, na rua Araújo Porto Alegre, 71, centro do Rio de Janeiro, sempre às 19h30min.

      Desta vez, a conversa, animada e descontraída – com a participação do público – , reuniu o jornalista Ruy Castro, consagrado autor da biografia do jogador Garrincha, o professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro-UERJ, Victor Hugo Adler e a mediação dinâmica do jornalista Marcelo Barreto, que apresenta o programa “Redação SPORTV” do canal especializado em esportes das Organizações Globo.

       A idéia geral do evento da ABI, que também recebe o apoio de outras instituições ligadas ao esporte em geral, e ao futebol em particular, a exemplo do canal SporTV, do site livrosdefutebol.com, do Grupo de Literatura e Memória do Futebol- MemoFut e do Sport: Laboratório de História do Esporte e do Lazer da UFRJ, é promover uma série de debates com a participação do público sobre o futebol e alguns domínios conexos tais como o Jornalismo (tema do primeiro encontro), o Samba, o Rádio, o Cinema, as Artes Plásticas, a História, a Dança e a Literatura.

       Na edição deste ano, vários nomes ligados ao futebol participaram das discussões, a exemplo de figuras conhecidas como os jornalistas Renato Maurício Prado, Eraldo Leite, Guilherme Roseguini, Vanessa Riche, Luiz Mendes, Álvaro de Oliveira Filho, Marina Araújo e Marcelo Barreto, o mediador de ontem. Representando a academia, nomes como os dos professores Maurício Murad, Celso Branco, Victor de Andrade Melo e Ronaldo Helal, além do cineasta José Carlos Asbeg (diretor do filme “1958: o ano em que o mundo descobriu o Brasil”) e o sambista Walter Alfaiate. Ver outras edições aqui.

                                                                                                     

      Na sua intervenção, o jornalista Ruy Castro explicou ao público as motivações pessoais e o processo através do qual construiu uma das mais detalhadas e bem escritas biografias sobre um jogador de futebol já produzidas no mundo. Detalhou a metodologia própria de pesquisa que adotou para a confecção do livro e o percurso um tanto difícil que a obra seguiu no mercado editorial brasileiro. Deu ainda suas opiniões sobre como o futebol pode ser apropriado pela literatura e outras formas de arte. É partidário da idéia de que o futebol é irredutível e impermeável à literatura de ficção, tema um tanto controverso.

 

 

    

      Já o professor da UERJ, Victor Hugo Adler, esmiuçou, com exemplos, as possíveis maneiras como os elementos constituintes e estruturais do futebol – sendo o homem e sua condição a centralidade do processo – podem render boa literatura (de ficção ou não)  e, portanto, uma continuidade do “jogo”  através da fruição da leitura. Ao final dos debates e em clima de confraternização natalina, os organizadores do evento sortearam livros de presente à platéia. Fica, agora, o convite à edição do projeto no ano que vem já que os organizadores do evento na ABI prometem boas novidades.

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: